domingo, 7 de maio de 2017

Quem não tem cão, caça com gato!

Olá, amigos!! Como vão? Hoje eu estou muito ansiosa porque já enviei o mangá Garoto X 1 para a revisão da Power Editora. Como vocês já devem saber, Garoto X sairá pela Power e não mais pela HQM. Por quê? Porque recebi um convite muito simpático do editor da Power, o Fernando.^^ E gostei. Vamos lançar em junho. Bom, né? 
É sempre uma correria antes do lançamento e um monte de coisas para fazer e decidir, mas é legal. O Fernando é um ótimo editor, sempre muito atencioso. Nos falamos quase todos os dias pelo face. Se tudo der certo, vamos iniciar uma nova e boa parceria. Já estou pensando na capa do volume 2 que poderá sair em seguida do volume 1. 
As coisas tem ido bem pra gente, mas no momento estamos naquele ditado, quem não tem cão caça com gato. Esse ditado, aliás, tem duas versões. A primeira pode ser interpretada ao pé da letra. Ou seja, na falta do cachorro, leva mesmo um gato para caçar. Estranho isso, afinal meus gatos não caçavam nada além de ratos e baratas. Nhéca. A segunda teoria é que, na verdade, o ditado correto seria: “Quem não tem cão, caça como gato”. Sendo assim, se você não tem um cão para encurralar a caça, você tem que caçar de uma maneira sorrateira, astuciosa, como um gato faz. Esse já faz mais sentido, não é não? No nosso caso tem a ver com as máquinas. Estamos sem uma das mesas digitalizadoras e a placa de wifi do note da Shirubana enguiçou. Então estamos fazendo o que podemos sem uma das mesas. O fato é que nós não estamos tão ruins assim, mesmo porque já estivemos bem piores, sem nenhum pc e scanner. E também sem grana! ( ainda estamos...)
Na verdade, tudo que um desenhista precisa é papel, lápis, borrachas e ideias! Tem que ter coragem e disciplina para fazer seu mangá. E também autoconfiança. Sem isso, um trabalho não sai. As vezes, nem apoio moral um artista tem. Nessa hora que temos que nos apoiar, buscar formas criativas de dar a volta por cima^^
Essa semana, vamos terminar o projeto para a Bunkyo de SP, só então poderei realmente me dedicar ao lançamento de Garoto X porque ambas sairão em junho. Faltam apenas duas páginas de desenho pra eu terminar o projeto da Bunkyo. Ainda tem a artefinal, que precisa da mesa digitalizadora. Mas vai dar tempo.^^ Nada como um deadline pra gente correr com tudo e terminar logo os projetos e entregar para a editora.
O Fernando está planejando brindes e também alguns goods das obras BL que vai lançar. Ele me mostrou uns samples e eu achei lindos. Gostei disso, acho que vamos fazer coisas muito lindas para os leitores. Aguardem!!
Bom, por enquanto é isso. Espero que os lançamentos aconteçam como previsto e que a nova editora seja uma grande parceira do Futago Estúdio!^^

terça-feira, 14 de março de 2017

Novos rumos!

Vocês lembram do O Príncipe do Best Seller? Pois é, ele foi meu primeiro mangá publicado por um editora.^^Hoje me deu saudade dos personagens desse mangá, o Pedro, o Theodore, o Max e o Paulo Lebre. Sem falar nos outros tantos que aparecem na história. Olhando para trás, eu pude ver o quanto foi bom fazer esse trabalho, o quanto eu conquistei com esse mangá de comédia muito despretensioso que eu criei. Sério! Não tinha nenhuma ambição a não ser terminar uma série. Mesmo porque estamos num país onde mangá e quadrinhos não são coqueluche. Eu tinha muito medo de conseguir publicar e não dar conta do trabalho. Ou ter a obra cancelada pela Editora por falta de vendas e de aceitação. No começo foi tenso, mas eu consegui terminar o mangá. Graças à essa obra, acabei melhorando no desenho de uma forma incrível. Fazer mangá ficou um pouco mais fácil pra mim. Agora não demoro tanto para fazer um NAME, nem para artefinalizar uma página. A pintura melhorou um pouco também, graças aos conselhos de colegas e aulinhas que fiz. Ainda não é o que eu quero em termos de qualidade, mas tá indo. Melhorei no roteiro também. Agora eu escrevo melhor. Pelo menos eu acho.rsrs 
Desse mangá, saiu um áudio drama! Claro que nada disso foi fácil de fazer, afinal, quando nunca fizemos algo na vida, tudo é um desafio. Agora estamos no desafio de fazer um anime. Não é do OPDBS, mas de Vitral. É uma dureza, mas eu amo.  
A página que ilustra o post, eu pintei ano passado, eu acho. Eu lembro que levei 2 semana para fazer a escola em 2008. rsrs Meu, foi muito trabalhoso. Mas hoje eu a desenharia bem mais rápido e bem melhor. É engraçado como evoluímos. Talvez essa página fosse diferente se fosse feita hoje. 
Agora estou criando O Príncipe do Mega Seller, que é a continuação ou uma segunda temporada da aventura dos escritores. A ideia ainda não está totalmente fechada, mas já posso ir produzindo que vai acabar fechando. Não me prendo ao roteiro escrito, eu gosto de ir criando ao longo do percurso. Principalmente as piadas, elas surgem do nada. ^^ Os personagens acabam agindo por conta própria então eu os deixo soltos. Espero que gostem da continuação. 
Talvez eu a publique no Medibang por partes. Amei a plataforma. Bonita, fácil de usar e de monetizar. Já os impressos eu não sei como ficarão porque a editora não dá nenhuma noticia faz 5 meses. Então, não vou prometer impresso por editora. Talvez eu lance por conta própria mesmo. O mundo mudou e graças a internet, as pessoas podem ler mangás sem precisar de editora e em várias línguas. Estou desenferrujando meu inglês e os mangás do Futago Estúdio estarão disponíveis em inglês também. Eu nunca tive dinheiro para fazer curso de inglês, então sempre estudei por conta própria. Por isso, não sei se ficará realmente bom. Ser pobre é uma merda mesmo, mas foda-se! Deus me deu um cérebro e internet, então bora estudar. Não posso pagar tradutores também. Nossa! Tô pobre mesmo! rsrs Mas eu não sou uma pessoa de desistir de algo só porque não tenho grana,  eu mesma faço, porra! Tenho mão, tenho pé, então posso. Até quem não tem faz! rsrs Claro que sei que vou ouvir que tem uns errinhos aqui e ali, mas isso vai me ajudar na verdade. Meu irmão mais novo sabe inglês muito mais que eu, mas infelizmente ele não tem tempo para traduzir pra mim por causa da faculdade. Ele me ajuda corrigindo e dando dicas. Eu agradeço também por ele não fazer tudo na verdade, assim eu posso melhorar. Facilidade nunca foi algo presente na minha vida, tudo sempre foi muito difícil, eu lembro que desenhava para os colegas de escola em troca de folhas para fazer as provas. Elas custavam 10 centavos, mas eu não tinha. Tinha que me virar para ter caderno, lápis, borracha e ainda tinha que economizar o ano todo esses materiais. Se fosse agora, juro que eu ia entregar a prova em folha comum mesmo e se a professora reclamasse eu mandava ela tomar lá. hauhauahua Bom, eu ainda sou pobre. Mas hoje eu tenho bem mais que no começo da vida.^^ Ser desenhista no Brasil é muito difícil mesmo, não é pra quem não aguenta. Você pode dizer que é difícil no mundo todo, mas a real mesmo é que sim, mas aqui além de difícil em tudo, é quase nulo.Todos os esforços não geram tantos resultados. As portas se fecharam novamente por causa da crise. Não quero desanimar ninguém, mas é hard! Então, o Futago Estúdio está navegando por outros mares e outros tipos de jeitos de mostrar o trabalho. Vejo muitos colegas paralisados por causa da crise e também porque não veem saída para sua arte. Eu acho que não vemos porque estamos com uma visão muito antiga do que é quadrinho e de como mostrá-lo. Só isso. Posso dizer que testar novos rumos já está gerando frutos pra nós, então esse talvez seja o caminho. 
Bom, vou indo! Beijos a todos!